terça-feira, 23 de novembro de 2010

2010

2010 foi um ano difícil pra mim. A transição do ensino médio, um sistema de avaliação e aprendizado que eu estava acostumado desde criança, para um mundo totalmente novo, onde eu sou responsável por mim mesmo e, principalmente, pelos meus atos. Começar uma vida totalmente nova, deixando pra trás todos os meus problemas de adolescente e começar a viver como um adulto.

Não, eu não consegui completar esse processo até hoje. Para todos nós, abrir mão do mundo que conhecemos e das coisas com que estamos acostumados é a tarefa mais difícil do mundo, a prática do desapego é quase tão difícil como a perda de alguém querido (claro que guardadas as devidas proporções).

Deixar pra trás velhos amigos, perder contato com muitos colegas com os quais você sempre pensou que fosse ter para o resto de sua vida (e ainda pode ter, pois esse ano também aprendi que certas amizades sobrevivem a qualquer distancia física ou temporal).
No ano de 2010, entrei para o grupo e pude conhecer melhor o trabalho de Alvo da Mocidade, me envolvi de tal forma que minhas noites de quarta lá na casa do prado eram sagradas, e ainda são, apesar de eu não estar tendo muito tempo de ir nesse fim de semestre. Lá conheci grandes amigos, pude crescer em amizade com muitos dos meus antigos amigos, descobri a força que tem uma amizade construída com sua base principal em Cristo. Carol, Júlia Tarragô, Barbara Santos, Pat, são pessoas que eu vou ter pra sempre comigo. Isso sem falar na Thalia, que em tão pouco tempo entrou na minha vida e se tornou tão especial, quase que a minha irmã mais velha, me aconselhando, ouvindo desabafos, me dando suporte pra agüentar toda a pressão que sofri durante o primeiro semestre. Mas o que mais me alegrou esse ano em Alvo foi ter a chance de reencontrar e conhecer melhor a Mari, aquela coleguinha da minha irmã que por algum tempo meio aqui em casa fazer trabalhos e com quem eu mal conversava. Hoje nossa amizade cresceu de tal forma que compartilhamos nossos segredos um com o outro. Nossos assuntos vão desde planejamentos de festas até a fé, passando por relacionamentos e muitos problemas.

A principal mudança do meu ano, como eu já disse, foi quanto a faculdade, nossa nunca passei tanto aperto quanto esse ano. De repente me deparo com 300% a mais de matéria pra estudar, uma média de aproximadamente 250 páginas por semana a serem lidas e 100 pontos sendo distribuídos em apenas 6 meses. Isso tudo me assustou de tal forma que fiquei quase 1 semestre sem conseguir pensar em mais nada, apenas refletindo se eu realmente queria seguir no curso de Relações Internacionais, tentando entender melhor aquele novo universo em que eu estava entrando. Cheguei realmente a me deprimir por conta desses questionamentos e nessa época tinha uma pessoa ao meu lado sempre me incentivando, aconselhando, ouvindo e ajudando. Apesar de tudo o que se passou depois, o Matheus Ricaldone foi uma figura bem presente no meu primeiro semestre, de fato um grande amigo, mas nossa amizade infelizmente não era forte o bastante. Não me arrependo de nada que passei com ele, dos segredos que contei, decisões que tomei e alguemas coisas que tive que abrir Mao, pos sei que, naquela época, era o melhor a ser feito e tudo valeu mesmo a pena!

Esse ano viajei com meus amigos pela primeira vez (depois da Disney) e foi PERFEITO, mesmo com tudo o que veio depois e as consequencias futuras que essa viagem acabou trazendo para a minha vida, mas é o que eu sempre digo, nada como parras algum tempo junto com os amigos para conhece-los e de amizade falsa e superficial eu quero distância

Na PUC tive a oportunidade de viver experiências novas... conheci pessoas com realidades totalmente diferentes da minha e acabei me tornando família de muita gente que ta morando sozinho em BH. O que me deixou bem feliz. Pude conhecer amigos fantásticos como o Be e Henry... Além de estarem sempre ao meu lado, eles me deram a oportunidade de mostrar quem eu realmente sou e não ter vergonha de mim mesmo. Nós três juntos com o Candido temos um relacionamento que se baseia principalmente na confiança, lealdade, cumplicidade e acima de tudo amizade. Também não posso não posso deixar de falar das pragas que animaram tanto meus dias e me deram forças pra agüentar esse segundo semestre, Gabi e Fe, nossa, passar o ano ao lado de vocês duas foi fantástico. Larissa, Claire, Chris, Isa, Otávio, Gustavo e outros, não esqueci de vocês não! Vocês também foram muito importantes, tenham certeza disso. Por último, mas NUNCA menos importante, MaRcia e Anessa, minhas primeiras amigas nessa vida de universitário, as pessoas que mais me deram força no primeiro semestre e me ajudaram a aguentar firme, meu sentimento por vocês é muito especial, duas irmãs que eu vou ter pra sempre.

O MINI-ONU me trouxe a oportunidade de conhecer pessoas novas e ampliar meus horizontes dentro do curso me dando o prazer de conhecer a Gika Pires, a Raiana, Bozena... Pude me aproximar mais do Bernardo, da Raysa Kye e da Nath. Depois do mini conheci também a Paola Bracho (hahahha), minha coleguinha de macro e nova companheira de almoço. Mais pro final desse segundo semestre me aproximei da galera de DiviCity: Bê, Otavio, Renata e Paola e a convivência com eles tem sido muito boa pra mim.

Aprendi que não devemos esperar nada das pessoas, pois isso sempre nos trará frustração (afinal, ninguém é igual, não é mesmo?), e que um relacionamento de verdade é baseado, acima de tudo na confiança incondicional. Descobri minha habilidade de expressar meus sentimentos por meio da escrita e pude produzir muitos textos com emoções implícitas (algumas vezes nem tão implícitas assim). Não há nada melhor que assentar na frente do computador, abrir o Word e deixar sair tudo o que está dentro de nós.

Em casa, pude me aproximar dos meus pais, tive algumas divergências com minhas irmãs, principalmente com a Bela, mas a pesar de tudo isso sei que ela é a única (ou uma das únicas) pessoa com quem vou poder contar para o resto da vida. Ela esteve do meu lado, me aconselhando e me ajudando no momento mais difícil do meu ano, quando eu achama que tudo estava perdido ela me ajudou a encontrar uma saída, e mesmo que as vezes elas usasse palavras duras demais, aquilo era a verdade e eu sei eu se não fosse importante pra mim escutar tais verdade ela com certeza não teria as dito.

Por fim, obrigado a cada um dos que foram ou não citados aqui, a cada um que fez parte dessa ano, que apesar de sofrido, foi perfeito.

Amo muito todos vocês!

domingo, 7 de novembro de 2010

Let's play a game...

1. Ligue seu music player no aleatório.
2. Aperte avançar para cada pergunta.
3. Use o nome da música como resposta para a pergunta mesmo se não fizer sentido.
NÃO TRAPACEIE!

4. Com as respostas, dê seus próprios comentários de como isso se relaciona à pergunta.


1. Como você está se sentindo hoje?
Nothing Compares – Wynter (leve... pra quem entendeu)

2. Você vai avançar na vida?
Breathless – Cascada (não faço idéia)

3. Como os seus amigos te vêem?
See a Little Light – Belinda

4. Você vai se casar? 
I’m not the One – 3OH!3 (I’m not the one who wants to hurt you, quer dizer sim ou não?)

5. Qual é a música tema do seu melhor amigo?
Falling Down – Selena Gomez (egoísta.. ahusha)

6. Qual é a história da sua vida?
Ours – Taylor Swift  (apaixonado)

7. Como foi/será o ensino médio? 
4 Minutes – Madonna (HSUAHSUAHSUAH, ri alto!)

8. Como você pode seguir com a sua vida?
Hot Air Balloon – Owl City (loucamente?)

9. Qual é a melhor coisa sobre seus amigos?
Shut up and Drive – Rihanna (I bet we’re crazy)

10. O que tem programado para esse fim de semana?
I Love Rock’n Roll – Britney Spears (não sei, mas aparentemente vai ser com a Gabi hahah)

11. Para descrever seus avós?
I’m With You – Avril Lavigne (oooooownn!)

12. Como está indo sua vida?
Hot Mess – Ashley Tisdale (precisa falar alguma coisa?)

13. Que música vão tocar em seu funeral?
Wavin’ Flag  K'naan (OMG! Que profundo...)

14. Como o mundo te vê? 
LoveStoned – Justin Timberlake (isso é bom ou ruim?)

15. Você terá uma vida feliz?
Good Girls Go Bad – Cobra Starship (só na farra)

16. O que você deveria fazer agora?
Hello Seattle – Owl City (ir para Seattle)

17. As pessoas te desejam secretamente? 
Radar – Britney Spears (UI…)

18. Como posso me fazer feliz?
Anything but Ordinary – Avril Lavigne (sendo eu mesmo)

19. O que você deve fazer com a sua vida?
Waiting – Cheryl Cole (esperar por alguem?)

20. Você terá filhos?
Change Your Mind – The Killers (apparently)

21. Você faria strip-tease com que música? 
Willing to Wait – Rihanna (nao tem clima não, mas fazer o que né…)

22. Se um homem numa van te oferecesse balas, o que você faria?
Shut Up – Black Eyed Peas (NÃO)

23. O que sua mãe pensa de você? 
Billie Jean – Michael Jackson (o que isso quer dizer?)

24. Qual é o seu segredo mais negro e profundo? 
Telephone – Britney Spears (negro eu não sei,mas eu contei meu segredo mais profundo ontem no telephone, serve?)

25. Qual é a música tema do seu inimigo mortal?
Over it – Katharine McPhee

26. Como é sua personalidade?
Brown Eyes – Lady GaGa (depressivo?)

27. Que música será tocada em seu casamento?
Be Good to Me – Ashley Tisdale (oi?)

28. Quais são suas aspirações?
Take a Bow - Rihanna

29. O que passa pela sua mente quando você acorda?
Let’s Get Down – Cheryl Cole (hsuahsuhsuah, amei)

30. O que seu namorado(a) quer de você? 
G4L - Rihanna

domingo, 24 de outubro de 2010

O Menstrel

Depois de algum tempo você aprende a diferença,
a sutil diferença, entre dar a mão e acorrentar uma alma.
E você aprende que amar não significa apoiar-se,
e que companhia nem sempre significa segurança.
E começa a aprender que beijos não são contratos
e presentes não são promessas.

E começa a aceitar suas derrotas com a cabeça erguida
e olhos adiante, com a graça de um adulto
e não com a tristeza de uma criança.

E aprende a construir todas as suas estradas no hoje,
porque o terreno do amanhã é incerto demais para os planos,
e o futuro tem o costume de cair em meio ao vão.

Depois de um tempo você aprende que o sol queima
se ficar exposto por muito tempo.

E aprende que não importa o quanto você se importe,
algumas pessoas simplesmente não se importam...
E aceita que não importa quão boa seja uma pessoa,
ela vai feri-lo de vez em quando e você precisa perdoá-la por isso.
Aprende que falar pode aliviar dores emocionais.

Descobre que se leva anos para se construir confiança
e apenas segundos para destruí-la,
e que você pode fazer coisas em um instante,
das quais se arrependerá pelo resto da vida.

Aprende que verdadeiras amizades continuam a crescer
mesmo a longas distâncias.
E o que importa não é o que você tem na vida,
mas quem você é na vida.
E que bons amigos são a família que nos permitiram escolher.

Aprende que não temos que mudar de amigos
se compreendemos que os amigos mudam,
percebe que seu melhor amigo e você podem fazer qualquer coisa,
ou nada, e terem bons momentos juntos.

Descobre que as pessoas com quem você mais se importa na vida
são tomadas de você muito depressa,
por isso sempre devemos deixar as pessoas que amamos
com palavras amorosas, pode ser a última vez que as vejamos.

Aprende que as circunstâncias e os ambientes tem influência sobre nós,
mas nós somos responsáveis por nós mesmos.
Começa a aprender que não se deve comparar com os outros,
mas com o melhor que você mesmo pode ser.

Descobre que se leva muito tempo para se tornar a pessoa que quer ser,
e que o tempo é curto.
Aprende que não importa onde já chegou, mas onde está indo,
mas se você não sabe para onde está indo,
qualquer lugar serve.

Aprende que, ou você controla seus atos ou eles o controlarão,
e que ser flexível não significa ser fraco ou não ter personalidade,
pois não importa quão delicada e frágil seja uma situação,
sempre existem dois lados.

Aprende que heróis são pessoas que fizeram o que era necessário fazer,
enfrentando as conseqüências.

Aprende que paciência requer muita prática.
Descobre que algumas vezes a pessoa que você espera que o chute
quando você cai é uma das poucas que o ajudam a levantar-se.
Aprende que maturidade tem mais a ver com os tipos de experiência
que se teve e o que você aprendeu com elas
do que com quantos aniversários você celebrou.

Aprende que há mais dos seus pais em você do que você supunha.
Aprende que nunca se deve dizer a uma criança que sonhos são bobagens,
poucas coisas são tão humilhantes e seria uma tragédia
se ela acreditasse nisso.

Aprende que quando está com raiva tem o direito de estar com raiva,
mas isso não lhe dá o direito de ser cruel.
Descobre que só porque alguém não o ama do jeito que você quer
que ame, não significa que esse alguém não o ama,
pois existem pessoas que nos amam,
mas simplesmente não sabem como demonstrar isso.

Aprende que nem sempre é suficiente ser perdoado por alguém,
algumas vezes você tem que aprender a perdoar a si mesmo.
Aprende que com a mesma severidade com que julga,
você será em algum momento condenado.

Aprende que não importa em quantos pedaços seu coração foi partido,
o mundo não pára para que você o conserte.
Aprende que o tempo não é algo que possa voltar para trás.
Portanto,plante seu jardim e decore sua alma,
ao invés de esperar que alguém lhe traga flores.

E você aprende que realmente pode suportar...
que realmente é forte, e que pode ir muito mais
longe depois de pensar que não se pode mais.
E que realmente a vida tem valor
e que você tem valor diante da vida!

Nossas dúvidas são traidoras e nos fazem perder o bem
que poderíamos conquistar, se não fosse o medo de tentar.

 

William Shakespeare

sexta-feira, 6 de agosto de 2010

Ec 4:9-12

Ontem, eu tava conversando com a Carolzinha e durante essa conversa ela me disse várias coisas que me ajudaram muito e quando fui agradecer ela me mandou ler a seguinte passagem: 
"É melhor ter companhia do que estar sozinho, porque maior é a recompensa do trabalho de duas pessoas. Se um cair, o amigo pode ajudá-lo a levantar-se. Mas pobre do homem que cai e não tem quem o ajude a levantar-se! E se dois dormirem juntos, vão manter-se aquecidos. Como, porém, manter-se aquecido sozinho? Um homem sozinho pode ser vencido, mas dois conseguem defender-se. Um cordão de três dobras não se rompe com facilidade."
Para os de raciocínio mais lento, sim, esta é a passagem que corresponde ao título desse post e que, por acaso é a mesma que está no "quem sou eu" do meu orkut.
Estou postando isso aqui como um complemento do post anterior, mas dessa vez, com uma visão positiva da amizade. Passei por algumas dificuldades e decepções na semana passada e estou superando tudo isso, mas agora é hora não de ficar com a cabeça no que aconteceu, mas sim pensar nas pessoas que continuam do meu lado, sempre estiveram e sempre estarão. Obrigado a vocês amigos, por tudo o que já me proporcionaram, poder contar com o apoio de vocês foi indispensável nesse momento.

domingo, 1 de agosto de 2010

Caindo na real... (pense nisso)

"acredito que amores vem e vão. Hoje você tá com alguém, amanhã pode não mais estar, mas os seus amigos estarão sempre ao seu lado, aquela coisinha de “para sempre” sabe? Mas, confiança a gente perde uma vez só.
Triste é você confiar em amigos que você julga ser seus melhores amigos, praticamente irmãos que você sempre teve, e de uma hora pra outra leva uma facada pelas costas, uma decepção que não tem nome nem explicação onde a confiança cai por um inevitável precipício e onde só mais tarde você vai acabar entendendo que a amizade valia muito mais.
Decepção não mata, ensina a viver. Ensina a sermos decentes, a ponderar nossos atos, a deixar a razão agir na mesma proporção da emoção e medirmos o valor que temos para as pessoas que julgamos importantes para nós e que nos consideram importantes também."

terça-feira, 27 de julho de 2010

Plano de vôo

Viver é como voar, tem seus pontos altos e baixos, paisagens bonitas e abismos mortos e sem fim, estar dentro de um avião e olhar pela janela vendo aquele chão de nuvens logo abaixo de nós trás uma emoção indescritível e assim é a vida. Voando, cada vez mais alto, vamos aprendendo, passando por novas situações, enfrentando turbulências, conhecendo pessoas que embarcam nesse vôo, algumas vem para ficar, outras permanecem por um tempo, até que um dia, chegam a seu destino e tem que desembarcar, dando lugar a novos passageiros.

Lidar com tudo isso é mais difícil do que parece, nem sempre é tão fácil dizer adeus, mas vamos aprendendo a viver e lentamente traçando o nosso plano de vôo.

terça-feira, 6 de julho de 2010

Para refletir

Thiago era um menino tímido, estava sempre quieto no seu canto, não tinha muitos amigos, porém parecia não se incomodar muito com essa situação. Seus pais viviam preocupados porque ele nunca saia de casa, nem era convidado para as festas e ficava o dia no computador, embora não conversasse com ninguém nem no msn.

No princípio, Thiago realmente não reclamava, afinal, tinha uma família perfeita, ganhava tudo o que queria, tirava boas notas, tinha poucos amigos, mas sabia que estes eram verdadeiros... ou pelo menos é o que ele pensava. Com o tempo, os amigos do menino começaram a lhe dar as costas, se juntando às outras crianças da escola que só queriam saber de zoa-lo e foi aí que ele notou que havia algo errado. Começou a reparar nos outros garotos da sua idade, percebeu que todos eles andavam em grupos e não costumavam serem vistos com mulheres o tempo todo. Pensando nisso, percebeu que com ele era exatamente o contrário. Não tinha amigos homens, apenas mulheres, algumas delas só estavam lá por sentir pena do pobre menino que andava sempre sozinho, outras se aproximaram para garantir um porto seguro na hora de fazer trabalhos e garantir uma fonte confiável para colar nas provas. Mas mesmo assim, nenhuma dessas hesitava em deixá-lo de lado quando não convinha estar com ele.

Após refletir bastante, concluiu que era necessário mudar, não dava para continuar daquele jeito. Tentou de tudo no colégio onde estudava, mas de nada adiantou... eram sempre os mesmo comentários, as mesmas piadinhas. Ele já tinha uma "fama" e não conseguiria mudar aquilo tão facilmente, como de fato não conseguiu, aquela situação permaneceu até o dia em que se formou. Porém nessa época a vida de Thiago não era mais a mesma. Seu ciclo de amizades não se restringia apenas aos interesseiros da escola, ele buscou algo mais. Como não obteve sucesso com suas mudanças no local onde estudava, o menino começou a investir em amizades fora de lá, e não é que deu certo? Ele encontrou pessoas que gostavam dele pelo que ele era, não estavam lá por pena ou interesse, mas sim pelo simples prazer de desfrutar de sua companhia. Pessoas tão maravilhosas que o fizeram experimentar a melhor vida que já pudera viver, mas sobre isso falaremos numa outra oportunidade. É claro que houveram decepções com alguns destes, mas nada que pudesse fazê-lo desistir de investir em amizades tão sinceras.

Entretanto Thiago tinha um defeito, como passou tanto tempo só, sentia tanta falta de amigos que quando conseguiu ficou com medo de perde-los e para que isso não acontecesse começou a sentir a necessidade de mostrar a cada um deles o quanto eram importantes em sua vida, sem perceber que ao fazer isso, estava ficando "grudento" e meio chato. Em virtude disso, várias pessoas se afastaram dele, fazendo com que o garoto sentisse o amargo gosto da solidão bater em sua porta novamente. 

Hoje, Thiago tenta se policiar, controlar essa carência que tanto o atrapalha, mas as vezes dá uma escorregada colando de novo em seus amigos mais próximos. Seu sonho é que eles pudessem entender o motivo por ele ser daquele jeito, pois só então não estranhariam tanto suas atitudes.

quarta-feira, 16 de junho de 2010

A macroeconomia

Aqui estou eu, no meu quarto dia de blog pronto para escrever meu quarto post (embora não tenha gostado o suficiente para de fato postar dois deles). Hoje vai ser um dia bem corrido pois apesar do maravilhoso fato de eu não ter tido aula, tenho prova de macroeconomia amanha e tenho que estudar muuuitooo! Nunca na minha vida pensei que fosse chegar ao ponto que cheguei com essa matéria, preciso de 12 pontos para poder fazer a prova especial, caso contrário, eu estarei perdido! Nunca imaginei também que precisaria ficar somando os pontos (como eu fazia no famoso papelzinho azul quando estudava no Pitágoras) quando entrasse na faculdade, sempre achei que fosse ser super de boa, mas não, me enganei.

Apesar de a maioria das matérias serem mais tranquilas, quando o assunto é economia eu sou um zero a esquerda. Ontem tive prova, passei o horário anterior todo resolvendo exercícios e eu sabia bem o que eu estava fazendo (pela primeira vez na vida), fiz a prova e saí da sala muito feliz, contando a todos o quanto eu tinha ido bem na prova. Hoje pela manhã abri o SGA e vi a seguinte frase: "Há atualizações em Notas" eu logo cliquei para ver, foi aí que todo o meu bom humor foi embora. Em 20 eu tirei 4. A pior sensação para um estudante é ir mal numa prova que ele julgava ter ido bem, você fica triste, frustrado e sente que nunca será capaz de aprender aquilo.

Essa é a minha última semana de aula e eu, apesar de nunca ter sido um aluno exemplar, também nunca precisei de nota para pegar recuperação e só para constar, eu só peguei uma recuperação durante toda a minha vida escolar; matemática, no segundo ano (provando que sempre tive dificuldade com os cálculos). Queria estar feliz e despreocupado como meus outros colegas já tendo passado em economia... ah, como eu seria feliz se tivesse nessa situação! Ta bom... eu sei que vou largar o curso e não devia estar preocupado com uma matéria como macroeconomia, mas já que eu resolvi terminar este semestre, pretendo fazer as coisas direito né... quem sabe as matérias que fiz em RI não me ajudam no meu futuro curso (que eu ainda não decidi qual será).

Enfim, tenho muito trabalho pela frente... estudar, estudar e estudar... é o que me resta a fazer hoje, pelo menos até as 18h, quando farei uma pausa para ir pro grupo, que é a unica razão das minhas quartas feiras serem tão boas e esperadas por mim durante a semana. Vou indo nessa... Abraços.

domingo, 13 de junho de 2010

Novas experiências

Foto por Matheus Ricaldone

Fim de tarde de domingo é sempre aquela depressão profunda né... afinal, na segunda começa tudo de novo... aulas, provas, trabalhos... Essa é a vida de um estudante.

Aqui estava eu, no meu fim de tarde de domingo, deitado na cama, fuçando o orkut da Kell Mene, quando descobri que a Pat decidiu criar um blog depois que eu apresentei o blog da Carol z! pra ela, e ela nem me contou! hahaha. Fui falar com ela sobre o assunto e ela acabou me pedindo ajuda para dar um nome pro blog dela; e como não sou nem um pouco criativo, pedi a ajuda do Matheus e adicionei ele na conversa.. Foi então que resolvemos criar blogs para nós também... Não foi nada combinado.. ele disse que ia criar pra ele e eu fui tentar achar um que eu tinha feito quando criança, não achei, então pensei: "por que não tentar algo novo? algo diferente?" e acabei criando um também.

Acho que essa vai ser uma boa maneira de me expressar, já que quando eu começo a escrever sobre alguma coisa eu não paro mais... (o Matheus sabe bem disso.. haushuah). Não sei se conseguirei postar coisas novas com frequencia, mas tentarei! Quanto ao nome, Kiwi, a idéia foi do Matheus. Como eu já disse, nao sou muito criativo né.. e enquanto nós 3 pensavamos em nomes para os nossos respectivos bolgs, ele citou esse nome (além de ser uma fruta que eu gosto muito), de modo que os blogs passaram a se chamar Pumpkin, Carambola e Kiwi. ;D

Então, por hoje é só... Eu sou Henrique e essa é a minha vida, que a partir de hoje começa a ser compartilhada aqui! =)